Busca por “indicações geo”

Vinícola Aurora cria Gioia, marca exclusiva para vinhos com Indicações Geográficas

Vinícola Aurora cria Gioia, marca exclusiva para vinhos com Indicações Geográficas

5 minutos Por Rogerio Ruschel Meu estimado leitor ou leitora, outra boa novidade no portfólio dos agroalimentos brasileiros: parece que nosso setor vitivinícola está mesmo convencido de que a origem e a identidade dos produtos agrega diferencial de marketing e valor de mercado. A Vinícola Aurora, de Bento Gonçalves, Rio Grande do Suol, sai na frente e lança a linha GIOIA, que, segundo informações que me enviaram, na tradução do italiano, significa “alegria”. “A nova marca apresenta produtos com garrafas numeradas e limitadas, que Continue lendo

510 bilhões de Reais por ano: este é o valor das 3.207 Indicações Geográficas de  alimentos e bebidas de 28 países europeus (em 2017)

510 bilhões de Reais por ano: este é o valor das 3.207 Indicações Geográficas de alimentos e bebidas de 28 países europeus (em 2017)

7 minutos O valor agregado a um produto europeu com Indicação Geográfica Por Rogerio Ruschel, com dados da Comissão da Agricultura da União Europeia Meu prezado leitor ou leitora, a Comissão Europeia divulgou dia 20 de abril de 2020, em Bruxelas, um relatório sobre o valor das Indicações Geográficas – IG para os países do bloco. Você sabe: IGs são registros de territórios que agregam valor aos produtos daquele território, porque criam diferenciais exclusivos e elevam os preços; por exemplo, Roquefort para queijos, Borgonha Continue lendo

Indicações geográficas de alimentos e bebidas: um tesouro de € 75 bilhões para a agricultura familiar da Europa

Indicações geográficas de alimentos e bebidas: um tesouro de € 75 bilhões para a agricultura familiar da Europa

7 minutos Por Ana Soeiro, Managing Director da QUALIFICA/ oriGIn PORTUGAL e Vice-Presidente do oriGIn para a Europa; Edição e comentários, Rogerio Ruschel Meu prezado leitor ou leitora, a Comissão Europeia divulgou dia 20 de abril de 2020, em Bruxelas, um relatório sobre o valor das Indicações Geográficas – IG para os países do bloco. Você sabe: IGs são registros de territórios que agregam valor aos produtos daquele território, porque criam diferenciais exclusivos e elevam os preços; por exemplo, Roquefort para queijos, Borgonha para Continue lendo

Registro internacional de Indicações Geográficas já é uma realidade, ao lado de registro de marcas; é o fim da pirataria no branding

Registro internacional de Indicações Geográficas já é uma realidade, ao lado de registro de marcas; é o fim da pirataria no branding

4 minutos Por Rogerio Ruschel Meu caro amigo ou amiga, os piratas de marcas e direitos de patentes, no Brasil ou no exterior, estão com os dias contatos: dia 26 de fevereiro de 2020 entrou em vigor o Ato de Genebra da Organização Mundial de Indicações de Procedência (WIPO) no contexto do Acordo de Lisboa. O Acordo de Lisboa assinado em 1979 é a grande convenção internacional que passou a garantir a autoridade de cada país em registrar suas Denominações de Origem (IGs e Continue lendo

Acordo histórico entre União Europeia e China vai proteger  200 Indicações Geográficas de alimentos da agricultura familiar

Acordo histórico entre União Europeia e China vai proteger 200 Indicações Geográficas de alimentos da agricultura familiar

4 minutos Por Rogerio Ruschel Meu caro leitor ou leitora, a cada dia fica mais óbvia a importância de se agregar uma denominação de origem a produtos agroalimentos como forma de diferenciação e valorização em um mercado global de commodities. Tenho reiterado isso aqui no “In Vino Viajas”, no meu livro “O valor Global do Produto local”, da Editora Senac, e em palestras que venho fazendo sobre o tema em geral e sobre o Acordo Mercosul X União Europeia em particular. Aliás, a China Continue lendo

Um curso internacional sobre Indicações Geográficas para diferenciar produtos na multidão global de commodities

Um curso internacional sobre Indicações Geográficas para diferenciar produtos na multidão global de commodities

5 minutos Por Rogerio Ruschel Meu caro leitor ou leitora, em todos os momentos da vida você pode fazer escolhas; eu escolhi sempre continuar aprendendo. E esta semana minha escolha se transformou no Certificado de Conclusão do curso “Adding Value to the Origin of Products Through Geographical Indications (GIs)” sobre “Como agregar valor à origem dos produtos com a Indicação Geográfica – IG” expedido pela ITC SME Trade Academy, de Genebra, Suiça, a plataforma de capacitação internacional do International Trade Center (ITC). Fiz o Continue lendo

Jorge Tonietto, da Embrapa Uva e Vinho, conta tudo que você precisa saber sobre as Indicações Geográficas do Brasil

Jorge Tonietto, da Embrapa Uva e Vinho, conta tudo que você precisa saber sobre as Indicações Geográficas do Brasil

14 minutos Por Rogerio Ruschel, editor Exclusivo – Entrevista com o Jorge Tonietto, Pesquisador de Zoneamento/Indicações Geográficas da Embrapa Uva e Vinho, de Bento Gonçalves/RS, Brasil Meu caro leitor ou leitora, precisamos valorizar nossos recursos ampelológicos e humanos. Por isso publico hoje uma entrevista com Jorge Tonietto, que trabalha com Pesquisa e Desenvolvimento na Embrapa Uva e Vinho – uma das organizações da Embrapa, empresa de excelência em pesquisa agronômicas. O Dr. Tonietto (na foto acima, de Viviane Zanella) é Engenheiro agrônono com especialização Continue lendo

Queijos brasileiros com Indicação Geográfica ganham selos dos Correios; reconhecimento agrega valor a produtos locais

Queijos brasileiros com Indicação Geográfica ganham selos dos Correios; reconhecimento agrega valor a produtos locais

3 minutos Artesanal Serrano, um dos oito queijos retratados na Série Especial de selos Por Rogerio Ruschel, com conteúdo do Sebrae Meu prezado leitor ou leitora, a mobilização pelo reconhecimento e agregação de valor a produtos brasileiros de base local e com Indicações Geográficas – IGs se amplia a cada dia e agora vai chegar até a sua correspondência: o Sebrae e os Correios lançaram dia 12 de agosto de 2021 um conjunto de selos artísticos homenageando os queijos brasileiros detentores de Indicação Geográfica. Continue lendo

Vinhos de Altitude de Santa Catarina agora têm selo de Indicação Geográfica

Vinhos de Altitude de Santa Catarina agora têm selo de Indicação Geográfica

7 minutos Por Rogerio Ruschel Meu prezado amigo ou amiga, está frio na serra catarinense, mas temos notícias quentes de lá. Como eu vinha monitorando aqui no  In Vino Viajas (veja os artigos abaixo), os Vinhos de Altitude de Santa Catarina conquistaram o selo de Indicação Geográfica (IG), concedido dia 29 de junho de 2021, pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) Veja os artigos aqui: Brasil vai ter mais três regiões vinícolas com certificação de origem; solicitações aceleram no INPI – https://www.invinoviajas.com/2021/02/brasil-vai-ter/ Vilagio Continue lendo

A CNI mergulha nos rincões do país para revelar os produtos com identidade geográfica do “Brasil que a gente produz”

A CNI mergulha nos rincões do país para revelar os produtos com identidade geográfica do “Brasil que a gente produz”

13 minutos Aldeia no município de Uarini, no coração da Amazônia, produtor da farinha de Uarini Por Rogerio Ruschel Exclusivo: Entrevista com Ariadne Tamm Sakkis, Editora de Conteúdo da Agência CNI de Notícias e diretora da Série “O Brasil que a gente produz” sobre produtos com Indicação Geográfica Meu caro amigo ou amiga, se você pensa que a CNI – Confederação Nacional da Indústria – a poderosa organização que representa mais de 20% do PIB brasileiro – só transita em grandes prédios industriais, ruas Continue lendo

Terra Indígena Andirá-Marau é a primeira Indicação Geográfica para povos indígenas do Brasil – agrega valor ao Waraná, o guaraná mágico dos Sateré-Mawé

Terra Indígena Andirá-Marau é a primeira Indicação Geográfica para povos indígenas do Brasil – agrega valor ao Waraná, o guaraná mágico dos Sateré-Mawé

6 minutos Por Rogerio Ruschel Prezado amigo ou amiga, vamos fazer uma pequena viagem ao coração da floresta amazônica para ver como a identidade agrega valor a um produto. A Terra Indígena Andirá-Marau, com 8.000 Km2, localizada na divisa dos estados do Amazonas e do Pará, conquistou a primeira Indicação Geográfica (IG) de Origem concedida a um povo indígena brasileiro, em razão de dois produtos locais: o waraná (guaraná nativo) e o pão de waraná (bastão de guaraná). Pois o Instituto Nacional da Propriedade Continue lendo

Campanha Gaúcha se torna a sétima Indicação Geográfica para vinhos e espumantes do Brasil; veja quem contribuiu para isso

Campanha Gaúcha se torna a sétima Indicação Geográfica para vinhos e espumantes do Brasil; veja quem contribuiu para isso

6 minutos Por Rogerio Ruschel, com informações da Embrapa e do INPI Meu prezado leitor ou leitora, uma boa notícia para estes tempos de quarentena: o INPI publicou dia 5 de maio de 2020 na Revista da Propriedade Industrial (RPI) nº 2574, a concessão da indicação geográfica (IG) “Campanha Gaúcha”, na espécie Indicação de Procedência, para vinhos finos brancos, rosados, tintos e espumantes. Esta é a sétima IG do estado do Rio Grande do Sul para o segmento de vinhos. Mais de 30 profissionais e Continue lendo

“O Brasil terá que adequar a legislação sobre produtos com Identidade Geográfica ao Mercosul e à União Europeia”, alerta especialista européia.

“O Brasil terá que adequar a legislação sobre produtos com Identidade Geográfica ao Mercosul e à União Europeia”, alerta especialista européia.

13 minutos EXCLUSIVO – Entrevista com Ana Soeiro, Diretora Executiva da QUALIFICA/oriGIn Portugal e Vice-Presidente para a Europa do Movimento Internacional oriGIn. Meu prezado leitor ou leitora, prestando mais um serviço para pessoas qualificados como você, neste momento em que muitos brasileiros começam a despertar para a necessidade de investir na identidade territorial de agroalimentos para sobreviver ao Acordo Mercosul/União Europeia, In Vino Viajas entrevista uma das maiores especialistas no assunto no mundo. Ana Soeiro (na foto acima) é Comendadora da Ordem do Infante Continue lendo

Saiba como o georrerenciamento de vinhedos da serra gaúcha pode melhorar o nosso vinho

Saiba como o georrerenciamento de vinhedos da serra gaúcha pode melhorar o nosso vinho

4 minutos   (*) Por Rogerio Ruschel com texto do Ibravin Meu estimado leitor ou leitora, a tecnologia se torna ainda mais valiosa quando ajuda a valorizar o que nos traz qualidade e alegria, concorda? Pois é: saber que tipo de uva foi utilizada, em que tipo de solo ela está, quanto recebe de sol e chuva, como foi plantada e como vendo sendo trabalhada é uma informação de fundamental importância cultural, técnica e econômica para a gestão da produção de vinhos em um Continue lendo

Vinhos com Selo IP Altos Montes chegam ao mercado 10 anos depois da conquista da certificação de origem.

Vinhos com Selo IP Altos Montes chegam ao mercado 10 anos depois da conquista da certificação de origem.

5 minutos Por Rogerio Ruschel A trajetória dos vinhos com Selo IP Altos Montes é bem curiosa e parece repetir uma síndrome que sofremos no Brasil: quase sempre demoramos para perceber o real valor dos produtos locais, que temos no fundo do quintal, quando comparados a produtos globais, estrangeiros. Por exemplo: dezenas de produtos brasileiros locais, pequenos mas de grande qualidade, que poderiam ter uma percepção de valor maior e buscar mercados mais seletivos, permanecem esquecidos, aguardando que os produtores percebam que o valor Continue lendo

Pesquisa na Espanha comprova: vinhos de uvas autóctones estão tendo mais valor do que vinhos com castas globais.

Pesquisa na Espanha comprova: vinhos de uvas autóctones estão tendo mais valor do que vinhos com castas globais.

2 minutos Por Rogerio Ruschel Meu prezado leitor ou leitora, veja só a força das Denominações de Origem na preferência do consumidor. Se você é um daqueles apreciadores de vinhos que tem certeza de que vinhos franceses são melhores e tem mais “valor” do que vinhos de outros países, é bom ler o que se segue. A edição 2021-2022 do guia “Wine Up! Wine” Monovarietal fez uma descoberta muito interessante e animadora para a vitivinicultura espanhola: em 2020 o preço médio e a qualidade Continue lendo

Pirarucu de Mamirauá, o gigantesco peixe da Amazônia, batiza a mais nova Denominação de Origem do Brasil

Pirarucu de Mamirauá, o gigantesco peixe da Amazônia, batiza a mais nova Denominação de Origem do Brasil

4 minutos Por Rogerio Ruschel Prezado amigo ou amiga, aos poucos estamos aprendendo a dar valor a nossos produtos de base local, aqueles que só determinado território tem e que consumidores de outras partes, até mesmo do exterior, adorariam conhecer. Na história de hoje tenho certeza disso, porque o pirarucu (Arapaima gigas), o gigantesco (e lindo) peixe da Amazônia foi reconhecido dia 13 de juho de 2021 como um patrimônio da região de Mamirauá. E posso garantir que é um patrimônio delicioso, porque já Continue lendo

Queijo do Marajó, feito artesanalmente com leite fresco de búfala, ganha reconhecimento de Indicação de Procedência – IP

Queijo do Marajó, feito artesanalmente com leite fresco de búfala, ganha reconhecimento de Indicação de Procedência – IP

5 minutos Por Rogerio Ruschel Meu prezado leitor ou leitora, mais uma boa noticia: o Queijo do Marajó, um queijo fresco de leite de búfala, produzido de forma artesanal há mais de 200 anos no arquipélago do Marajó, no Pará, acaba de ser reconhecido como um patrimônio de valor coletivo. O Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) atribuiu a ele o registro de Indicação de Procedência, uma das formas de Indicação Geográfica do Brasil.  Na abertura, veja a alegria das vaquinhas de Marajó, que Continue lendo

Brasil vai ter mais três regiões vinícolas com certificação de origem; solicitações aceleram no INPI

Brasil vai ter mais três regiões vinícolas com certificação de origem; solicitações aceleram no INPI

9 minutos Fonte: Jorge Tonietto Por Rogerio Ruschel Estimado leitor ou leitora, boas notícias: o Brasil está acelerando propostas de certificação de origem para vinhos e espumantese isso vai ajudar a conquistar respeito e mercado, dentro e fora do país. Estamos muito atrasados em relação a produtores com os quais queremos competir: em 2017 existiam 1.043 Identidades Geográficas – IGs apenas de vinhos, na Europa; só a França tinha 473 regiões certificadas, a Itália tinha 464 e a pequena Luxemburgo, que tem pouquíssima experiência Continue lendo

Do Pau-Brasil abandonado ao Guaraná protegido: de olho na certificação de origem dos produtos brasileiros mais tradicionais

Do Pau-Brasil abandonado ao Guaraná protegido: de olho na certificação de origem dos produtos brasileiros mais tradicionais

10 minutos Por Rogerio Ruschel Com 521 anos de história o Brasil reconhece sua primeira Indicação Geográfica indígena e cria o único “terroir com alma” do mundo: o Tekoha dos Sateré-Mawé. Meu prezado leitor ou leitora, fico feliz em poder escrever isso: parece que finalmente o Brasil está levando a sério o reconhecimento do valor de seus produtos locais, nativos, que estamos acreditando qaue vale a pena agregar valor ao nosso próprio patrimônio, especialmente no que se refere a agroalimentos. Esta percepção de valor Continue lendo

Espanha anuncia faturamento de 23,7 bilhões de euros com a indústria do vinho em 2019

Espanha anuncia faturamento de 23,7 bilhões de euros com a indústria do vinho em 2019

6 minutos Por Rogerio Ruschel Prezado amigo ou amiga, em novembro passado, a Interprofisional del Vino de Espana – OIVE (a entidade representativa das cadeias produtivas do vinho espanhol, tanto na produção quanto na comercialização) divulgou um relatório sobre “A importância económica e social del setor vitivinícola na Espanha”. Os números são espantosos – como um VAB (Valor Acrescentado Bruto) de 23,7 bilhões de euros. Mas talvez a grande conclusão seja essa: a cada Euro investido ou movimentado pelo setor vitivinícola, a economía espanhola Continue lendo

O vinho que você não vê:  saiba como leveduras nativas valorizam a identidade territorial de vinhos no Brasil.

O vinho que você não vê: saiba como leveduras nativas valorizam a identidade territorial de vinhos no Brasil.

3 minutos Parte da coleção de leveduras da Embrapa conservadas no freezer. Por Rogerio Ruschel Meu caro leitor ou leitora, a indústria vitivinícola brasileira está evoluindo em qualidade e deve isso a muitas pessoas e organizações, entre as quais a Embrapa Uva e Vinho. E um dos avanços está na possibilidade dos enólogos poderem utilizar leveduras locais para a fermentação dos vinhos, e não apenas leveduras estrangeiras, importadas. Usar leveduras “tropicais”, mesmo que as castas das uvas não sejam naturais do Brasil, pode conferir Continue lendo

O vinho brasileiro vai pular o carnaval nas Ilhas Canárias

O vinho brasileiro vai pular o carnaval nas Ilhas Canárias

2 minutos Por Rogerio Ruschel Jaime Milan, consultor da Aprovale e coordenador do processo de certificação dos produtos da D.O. Vale dos Vinhedos, vai realizar degustações e palestras sobre as Denominações de Origem e Indicações Geográficas dos vinhos do Brasil nas Ilhas Canárias, Espanha, a convite da Universidad de La Laguna. A participação de Milan vai ser na 5a. Edição do “Curso de Especialistas en Gestión Enoturística y Análisis Sensorial de Vinos de la Universidad de La Laguna”, que se realizará entre 9 de Continue lendo

Conheça o CEPAVIN, criado para ajudar a preservar a memória e o patrimônio cultural das comunidades e territórios do vinho no Brasil

Conheça o CEPAVIN, criado para ajudar a preservar a memória e o patrimônio cultural das comunidades e territórios do vinho no Brasil

5 minutos Por Rogerio Ruschel (editor) e Vander Valduga (texto) EXCLUSIVO – Meu caro leitor ou leitora, tenho uma boa noticia: a criação do Cepavin,  um centro de pesquisas no Rio Grande do Sul que vai aumentar as chances de preservarmos a identidade de nossas comunidades do vinho. Praticada há cerca de 6.000 anos, além da importância econômica da atividade, a cultura do vinho tem alta relevância por causa dos patrimônios histórico, artístico, paisagístico, social e arquitetônico específicos das comunidades e de suas identidades Continue lendo

Veja como a certificação de origem preserva territórios, protege a identidade e valoriza as comunidades que produzem vinhos no Brasil

Veja como a certificação de origem preserva territórios, protege a identidade e valoriza as comunidades que produzem vinhos no Brasil

7 minutos Por Rogerio Ruschel (*) Meu caro leitor ou leitora, como você sabe, o vinho tem identidade própria, herdada do território, do tipo de uva, do terroir e construída pela cultura da comunidade e pelo talento do produtor. Embora produza vinhos comercialmente desde 1875, o Brasil começou a se preocupar com a identidade de seus vinhos apenas há 15 anos, com a busca por uma certificação de origem. Só para termos uma referência, a Itália tem 403 vinhos com Denominações de Origem Controlada Continue lendo

Veja como a Città del Vino promove o território, a identidade e a excelência para manter os vinhos e o enoturismo da Itália no mapa dos melhores do mundo

Veja como a Città del Vino promove o território, a identidade e a excelência para manter os vinhos e o enoturismo da Itália no mapa dos melhores do mundo

12 minutos Por Rogerio Ruschel (*) Exclusivo – Entrevista exclusiva de Paolo Benvenuti, diretor da Città del Vino, a Rogerio Ruschel. Meu prezado leitor ou leitora, quero te apresentar Paolo Benvenuti, um grande sujeito e uma conhecida personalidade da vitivinicultura italiana e europeia, diretor executivo há muitos anos da Associação Italiana de Cidades do Vinho – a Città del Vino – a maior e mais eficiente associação de produtores de vinho do mundo. Conheci Benvenuti pessoalmente em um congresso de enoturismo em Portugal, quando Continue lendo

Grande degustação de vinhos portugueses: um brinde a produtos únicos, com personalidade, identidade e classe.

Grande degustação de vinhos portugueses: um brinde a produtos únicos, com personalidade, identidade e classe.

2 minutos Por Rogerio Ruschel (*) Aceitei o convite e esta semana “desafiei meus sentidos, esqueci o comum e aproveitei o único”. Explico: participei da Grande Degustação Vinhos de Portugal, no espaço Rosa Rosarum (detalhe abaixo), em Pinheiros, S. Paulo, organizada pela Exponor, onde pude degustar vinhos diferenciados, únicos, feitos com uvas com identidade e personalidade próprias. Portugal tem uma longa tradição na criação de vinhos únicos. Desde o ano 2.000 Antes de Cristo sucessivas gerações se dedicaram a cuidar de vinhas e aperfeiçoar Continue lendo

Colóquio de Florianópolis: o primeiro evento internacional sobre enoturismo e cultura do vinho do Brasil

Colóquio de Florianópolis: o primeiro evento internacional sobre enoturismo e cultura do vinho do Brasil

5 minutos   Por Rogerio Ruschel (*) O Estado de Santa Catarina, na região sul do Brasil, considerada uma nova fronteira vinícola brasileira que tem impressionado consumidores, lojistas, jornalistas e especialistas por seus vinhos de altitude, começa a ter prestígio internacional. Entre os dias 3 e 5 de dezembro de 2013 foi realizado em Florianópolis, a capital do Estado, o primeiro “Colóquio Internacional Vinho, Patrimônio, Turismo e Desenvolvimento” – primeiro porque os organizadores planejam outros eventos similares no país. O Colóquio foi co-organizado pela Continue lendo

As vantagens dos vinhos com Denominação de Origem – e sua importância para a Catalunha, Espanha

As vantagens dos vinhos com Denominação de Origem – e sua importância para a Catalunha, Espanha

3 minutos Por Rogerio Ruschel, com texto de Vinetur Meu estimado leitor ou leitora, com muita frequência publico aqui no In Vino Viajas pesquisas, relatos e depoimentos mostrando a importância da identidade de um produto como agregador de valor. A União Europeia informa que pode chegar a mais de 350% no caso dos vinhos. O catalão Salvador Dali (na foto acima) amava os vinhjos de sua terra Queijos, azeites, frios, doces, chás, biscoitos, cafés, mel, carnes que têm uma Indicação Geográfica (como Gruyére, Canastra, Continue lendo

Por que o maior varejista da América Latina anuncia um pequeno vidrinho de pimenta produzida por índias Baniwa da Amazônia?

Por que o maior varejista da América Latina anuncia um pequeno vidrinho de pimenta produzida por índias Baniwa da Amazônia?

9 minutos Por Rogerio Ruschel Mais um conteúdo de qualidade e exclusivo de In Vino Viajas. Prezado amigo ou amiga, a rede de supermercados Pão de Açúcar tem milhares de produtos à venda em suas 185 lojas. Mais de 99 % são produtos que também podem estar à venda também em concorrrentes, porque são produtos globais, marcas internacionais. Mas então por que o Pão de Açúcar também oferece e faz propaganda na TV!!! – de produtos pequenos, locais, com volume de produção limitadíssimo, como Continue lendo